Rapper e Cineasta Fiell é agredido pela UPP do morro Santa Marta

Pelo jeito a menina dos olhos da política de segurança pública do estado do Rio de Janeiro não vai tão bem quanto parece.

De que adianta acabar com o domínio dos traficantes, se no lugar se instaurar apenas uma nova força armada arbitrária?

A UPP não deixa de ser polícia e deve ter o mesmo controle público que toda polícia.

Aposto que se alguém fizer uma festa em um bar no Leblon e fizer barulho além do horário permitido, nenhum policial irá deter a pessoa, agredí-la e levá-la para a Delegacia.

E o pior é o sarcasmo do policial: “Cadê a cartilha de abordagem policial para te proteger?”.

Se isso acontece na UPP Santa Marta, que é a primeira e a vitrine de todas as UPPs, imagina o que não acontece nas outras!

___________________________________________

http://www.vivafavela.com.br/node/660

Rapper e Cineasta Fiell é agredido pela UPP do morro Santa Marta

por Fiell
morro Santa Marta | RJ
Rapper e Cineasta Fiell é agredido pela UPP do morro Santa Marta.

UPP “Unidade de Policia pacificadora” Muda a vida do morador do morro Santa Marta.

Na madrugada de sábado 22/05/2010, 12 policiais da UPP – Unidade de Policia pacificadora, do morro Santa Marta em Botafogo –RJ, agrediram o Rapper e Cineasta Emerson Cláudio Nascimento dos Santos o Mc Fiell. Fiell: – Os policias passaram aqui no bar as 21:h e avisaram que se o evento passasse das 2:h, eles iriam prender o produtor e os equipamento de som do mesmo. Eu fiquei em alerta, e quando marcava 1:55 eles invadiram a nossa propriedade sem nenhum mandado e saíram desligando todas as tomadas que ligavam o som. Peguei minha filmadora e comecei a filmar toda a cena, pois eu não acreditava no que estávamos vendo. Tenho uma lei do silencio e a levei comigo para nos garantir a continuação do evento com um som ambiente. Na lei diz: – Verificar ortografiaArt. 2º Para os efeitos desta lei, consideram-se prejudiciais a saúde, a segurança ou ao sossego publico quaisquer ruído que: 1- Atijam no ambiente exterior ao recinto em que tem origem, nível sonoro superior a 85 decibéis, medidos no cursor C do medidor de Intensidade de som. – Tentei dialogar mais como sempre não escutado, pelo contrario um dos policias ficou debochado de mim. PM – Fiell, mim filma eu sou bonito? Quero uma copia depois ta bom? Fiell – Gente é inacreditável no que vimos. E em nenhum momento os policiais pediram para baixar o som, e em todo momento falavam que era ordem da Capitã Priscila. Com o som desligado, eu peguei o microfone que estava funcionando e comecei a indagar: – Não é esse tratamento que queremos, a PM tem que nos respeitar e tratar de forma igualitária. Não gostando do meu ato o policial cabo Damião mim deu ordem de prisão: PM- Fiell você estar detido por desacato a autoridade. Sem reação violenta pedi para fazer uma ligação e pegar meus documento que estava a 10 metro do bar. Ele o cabo mim puxou o palco e foi mim arrastando até a viatura. No trajeto até a blazer da PM que fica no pé da escada, eles os 12 policiais iam mim espancando a todo momento e falavam: – Cadê a cartilha de abordagem policial para te proteger? Eles continuam o massacre porrada do lado direito e esquerdo sem intervalo. Para chegar a viatura da Pm tem que passar em frente ao DPO departamento de policia ostensiva, vi 3 policiais saindo do DPO e vindo a nossa direção. Chegando perto de mim os 3 policiais que agora a soma são 15. Mim bateram no rosto e costelas até chegar na viatura e mim jogar dentro da caçapa. Muita gente que estava no pé da escada, quando mim viram ser tratado daquela forma ficaram furiosas e revoltadas: População – Antes de mim jogarem dentro da caçapa eu pedi que minha esposa Marcia mim acompanhasse a delegacia. O PM falou para ela – Pega um táxi se quiser ir. Eu já estava dentro da caçapa esperando a saída da viatura e resolveram jogar a minha esposa junto na caçapa, até ai quem estava sendo autuado era eu até chegar na delegacia. Os policias dentro da 10º Botafogo resolveram também autuar minha esposa que passou de acompanhante a agressora e foi autuada em desacato a autoridade. Meu cunhado que foi de táxi para a delegacia levar meus documentos também foi autuado dentro da delegacia como desacato a autoridade. Que país é esse onde os pobres não tem direito a nada e se falar leva porrada. O musico Marcelo Yuka ao saber do ocorrido foi a delegacia acompanhar o caso já que horas antes estava com o Fiell em uma reunião. Na delegacia eu fiquei sabendo de uma coisa que não mim chamou atenção todos os policiais tem uma lei ou direito emfim não sei o que é mais é isso FÉ PUBLICA, isso siguinifica uma fidelidade onde os Pms não mentem, A delegada falou que acredita nos policiais e isso é o que vale pois eles tem fé publica. Já o dia amanhecendo fomos todos embora e eu tinha que ir para meu curso de comunicação na cidade. Depois fui ao IML fazer corpo delito pois estou todo machucado devido as porradas que a UPP proporcionou ao um morador que questiona o que é errado. Agora irei prestar queixa na delegacia por abuso de autoridade violência física e constrangimento. Mais uma vez a UPP entra em cena. Mudou as nossas vidas para pior, ou entra na filosofia UPP ou vai para delegacia. UPP controla o social das favelas que estão policiadas e não tem cartilha como eles falou e nem leis que eles não o violem. “Isso aconteceu comigo sábado 22/05/2010 as 1:55 por contestar a não desligar o som do nosso espaço cultural bar do Zé Baixinho no morro Santa Marta, Rio de Janeiro-RJ” A uns três meses eu junto com os moradores do Santa Marta fizemos uma Cartilha Popular do Santa Marta Abordagem Policial para poder conter as arbitrariedades que não cessava, e desde então a UPP mim persegue.

Veja também no jornal o Globo.http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/05/23/rapper-acusa-policiais-de-upp-de-agressao-916667144.asp

Leia sobre a Cartilha de abordagem policial.

Moradores do Dona Marta recebem cartilha sobre como lidar com PMs

_____________________________________

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/05/23/rapper-acusa-policiais-de-upp-de-agressao-916667144.asp

Denúncia

Rapper acusa policiais de UPP de agressão

Publicada em 23/05/2010 às 23h03m

O Globo

RIO – Autor de uma cartilha sobre a abordagem policial nas favelas, o rapper e cineasta Emerson Cláudio Nascimento dos Santos, de 30 anos, conhecido como Mc Fiell, acusa policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Dona Marta, em Botafogo, de agressão. Segundo o rapper, na madrugada de sábado, ele realizava um evento em um bar na comunidade quando 12 policiais da UPP invadiram o espaço, desligaram o equipamento de som e, em seguida, o agrediram e o detiveram.

– Os policiais desligaram o som à 1h55 da madrugada, cinco minutos antes do estipulado.Tentei argumentar, mas fui agredido, arrastado e autuado por desacato. Levei tapas na cara, socos e pontapés. Minha esposa pediu para me acompanhar e também foi jogada na caçamba e autuada – contou.

Ele fez exame de corpo de delito e vai à delegacia nesta segunda-feira prestar queixa. A Polícia Militar informou que só vai se pronunciar após a instauração do inquérito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: